Pular para o conteúdo

6 startups de viagens que você precisa conhecer em 2022 

startups de viagem - conselhos de viagem

Para quem gosta de viajar e tecnologia o mercado sempre está gerando novidades imperdíveis. Dessa forma é bom ficarmos por dentro dos surgimentos de startups de viagens. Sendo assim, conheça aqui 6 startups de viagens que eu tenho certeza que você nem sabia existir. 

Bem como, os comentários sobre elas foram realizados pelos especialistas do Skift Insight. Já ouviu falar nele?  

Portanto, isso significa a sigla (em idioma inglês) que representa Sociedade de Telecomunicações Financeiras Interbancárias Mundiais.

Quer conhecer, então, as 6 startups de viagens para 2022? Continue lendo.

FUTURESTAY (Nova Brunswick, Nova Jersey, EUA)

  • Plataforma de contabilidade universal para proprietários de hoteis e imóveis para hóspedes
  • O valor dos investimentos atraídos: US$ 2,8 milhões.
  • Principais investidores: Newark Venture Partners

Skift Insight: Os proprietários de hotéis e imóveis para hóspedes desejam promover suas casas no Airbnb, Booking.com e outras plataformas, e muitas empresas vendem software especializado para isso.

Mas nenhum desses programas é uma ferramenta completa para automatizar as tarefas que surgem depois que o turista clica no botão “Reservar”. Por exemplo, nenhum programa pode resolver o problema dos retornos potenciais.

A Futurestay oferece uma solução digna que reduzirá ao mínimo a quantidade de trabalho de rotina. Philip Kennard, CEO da Futurestay, diz que a empresa já atende mais de 100.000 propriedades sem nenhum custo de publicidade ou marketing de busca.

HOTELOGIX (Noida, Índia)

  • Deixe os hotéis jogarem fora seus servidores
  • Desativar anúncios
  • Serviço de pagamento
  • Como abrir um cartão Mastercard / Visa nos EUA remotamente em um minuto e pagar pelos seus serviços favoritos
  • Spoiler: custará 5000 rublos. O valor dos investimentos atraídos: US$ 8 milhões.
  • Principais investidores: Accel, Saama e Vertex

Perspectiva de Skift: A maioria das pessoas que viajam para a Índia a Turismo ficam em  redes de hotéis internacionais, e nos países em desenvolvimento usa sistemas de gerenciamento de servidores e sofre com a falta de controle centralizado no nível corporativo. 

Além disso, os proprietários de hotéis não podem realizar transações financeiras em tempo real com agências de viagens online.

Sendo assim, a Hotelogix trouxe todos esses procedimentos em um único aplicativo de Internet móvel, disponível para clientes de 100 países ao redor do mundo.

Funcionalidade semelhante está disponível em outras startups (Mews e SiteMinder). No entanto, a tão esperada competição é uma lufada de ar fresco para este mercado.

IVVY (Varsity Lakes, Queensland, Austrália)

Logo depois, temos a Sabre e Travelport para eventos e reuniões que fundaram a IVVY.

  • Fundos Arrecadados: US$ 11 milhões (AU$ 15 milhões) em fundos de capital de risco, cerca de US$ 7,5 milhões de investidores privados.
  • Principais investidores: não divulgado

Perspectiva de Skift: Lauren Hall, CEO da Ivvy, queria apresentar seu próprio sistema de reservas de eventos para um público internacional. Sendo assim, alcançar uma grande e importante parte do segmento de viagens.

Ela já lançou, por exemplo, negócios na Austrália e na África do Sul e abriu novos escritórios no Reino Unido e nos EUA no ano passado.

Bem como, os planejadores de eventos e proprietários de hotéis estão envolvidos em sistemas que impedem a comunicação direta entre si.

Logo depois, várias outras empresas (Social Tables, Groupize e Breather) estão enfrentando os mesmos problemas, mas Hall tem grandes esperanças em Ivvy, pois planeja construir, por exemplo, o primeiro sistema de distribuição global para eventos.

JOURNERA (Chicago, Illinois, EUA)

Combinando dados díspares para obter uma imagem única da jornada do cliente

A quantidade de investimentos atraídos: a informação está escondida
Bem como, seus grande investidores, não foram divulgados e são sigilosos

Opinião da Skift: Os provedores de serviços de viagens sabem que os clientes desejam uma experiência personalizada e sem complicações, e também estão procurando as ofertas certas.

No entanto, cada empresa possui apenas um conjunto fragmentado de dados sobre turistas individuais.

Logo depois, a Journera tenta reunir essas informações para que as empresas possam montar as melhores ofertas para cada etapa da jornada. Adara, Adobe e Saber, então, já tentaram resolver os mesmos problemas à sua maneira.

Sendo assim, a Journera chegou ao nosso ranking por vários motivos. Primeiro, por causa de nossa crença na equipe liderada pelo cofundador e CEO Jeffrey Katz (ele já dirigiu a Orbitz e a Swissair).

Em segundo lugar, por exemplo, eles foram apoiados por várias filiais das principais companhias aéreas e cadeias hoteleiras americanas.

KIWI.COM (Brno, República Tcheca)

Valor dos investimentos atraídos: US$ 1,75 milhão (€ 1,5 milhão)
Em seguida, seus principais investidores: Jiri Glavenka, empresário tcheco

Portanto, ele é o portal de viagens que mais cresce do qual os americanos nunca ouviram falar

Skift Opinion: Como uma startup pode crescer para cerca de 1.900 apoiadores com um modesto investimento de US$ 1,75 milhão em apenas cinco anos?

Bem como, ao aumentar os lucros investidos no crescimento da empresa, ou seja, um bom exemplo disso é o Kiwi.com, que já vendeu 6 milhões de ingressos desde sua criação em 2012.

Sendo assim, o portal utiliza um modelo único de construção de uma única rota, conselhos de viagens, combinando voos de companhias aéreas não parceiras.

Imagine, então, voar primeiro com a Ryanair e depois transferir para a easyJet, tudo com um bilhete.

Nota: No ano passado, o COO da Kiwi.com, Zdenek Komenda, fez uma apresentação sobre as tecnologias da Kiwi.com na Travel Tech Conference Russia.

LVJI (Guangzhou, China)

Informações para viajantes na Nova Rota da Seda
O valor dos investimentos atraídos: US$ 19 milhões.
Principais investidores. Fundo de Qianhai e Fundo Pufeng.

Assim como, a opinião de Skift: Qualquer pessoa que tenha viajado, por exemplo, para fora das cidades famosas da China sabe como pode ser difícil, por exemplo, encontrar informações turísticas até mesmo para falantes de mandarim, ou seja, muito menos para visitantes estrangeiros.

Sendo assim, a Lvji veio em socorro desenvolvendo, por exemplo, guias de áudio para aplicativos móveis e quiosques de informações.

Portanto, uma vez que Lvji resolva, por exemplo, o problema de marketing da China como destino turístico, ela terá conhecimento suficiente para criar um produto global útil.

Gostou de conhecer as startups de viagens?

Sendo assim, para saber mais dicas do mundo das viagens acesse Elizabeth Werneck , o De Lugar Nenhum e também o Viajante Colorido

Compartilhe com seus amigos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.